quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Segredinhos nojentos...

- O que mais os pássaros te segredaram Maria?
- Que preferem viver na cidade...
- Porque?
- Porque preferem fazer coco em cima da cabeça das pessoas!
- Credo como assim?
- Ah eles acham mais útil adubar as cabeças do que a terra... Disseram que das cabeças nascem coisas mais interessantes que frutos...
- Nossa nunca imaginei que eles diriam isso...
- É agora entre eles há um desafio... adubar em cima da cabeça do prefeito, da ultima vez eles erraram e o prefeito só conseguiu ter ideias pouco brilhantes...
- É falta adubo...
- É quem diria, falta um pouco de coco na cabeça dele.... 

Segredos...

- Maria... Nunca mais tentou voar, o que aconteceu?
- Eu estava apenas observando os passarinhos e eles me segredaram coisas...
- Coisas?
- É... Muitos deles sonham em ser peixinhos...
- Ninguém esta feliz sendo o que é não é?
- Talvez... Ou a gente sempre sonha em ser mais do que nos disseram pra ser...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

- Estou apaixonada...uf...
- Que bonito Maria, mais qual o problema?
- Estou apaixonada por uma nuvem...
- Ai Maria as pessoas não se apaixonam por nuvens, sol ou qualquer outra coisa que não seja humano!
- Claro que se apaixonam tanta gente apaixonada pela lua e ninguém diz a eles que estão doidos!
- Não vou discutir isso com você, mais qual o problema então, é por ser um amor impossível?
- Não há nada de impossível nisso, na verdade é que o tempo esta fechando...
- É Maria, é isso o amor, ele esta sempre pronto pra chover...
- É mais não tem problema...
- Não?
- Não. Amar a chuva é ainda mais fácil...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Vi...

Onde alguém viu coração...
Eu vi passarinho...
Onde alguém viu amor...
Eu vi formas em nuvens...
Onde alguém viu saudade...
Eu vi a chuva...
Onde alguém viu ausência...
Eu vi uma bater de asas...
Onde alguém viu esperança...
Eu vi ninho...
Onde alguém viu abandono...
Eu vi caminho...

domingo, 14 de agosto de 2011

Suspensão



[Gramática] Sentido interrompido ou incompleto.


[Química] Estado das partes sólidas que flutuam 

sobre um líquido sem nele se dissolverem.

[Música] Sustentação (de uma nota ou de uma

pausa).

[Física] Espécie de miragem incompleta.

[Música] Sinal de pausa.

[Monique] Sinais de insônia. Perda da memória 

recente. Confusão e pausas dramáticas antes das 

falas. Estado de reticências...


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Estou com uma saudade daquilo que fica entre os pés na areia e o começo do mar...

Assopro

- O que esta fazendo Maria, que não para de assoprar?
- Estou fuuuuuu tentando ficar fuuuuu leve...
- Assoprando?
- Sim pra ver se sai o peso fuuuuuuuuu do meu peito, esse peso deve ser fuuuuuuu excesso de ar...
- Não existe excesso de ar Maria...
- Então fuuuuu o que é?
- Ah, deve ser algo que não vemos também...
- Ah fuuuuuu então sai no ar...
- É talvez Maria, talvez, o ultimo peso que eu carregava aqui, só o vento conseguiu levar...


sábado, 30 de julho de 2011

Curva

Acho que estou naquele momento da vida
Bem no meio da curva do S
Não sei se a vida sobe...
Não sei se a vida desce...

terça-feira, 19 de julho de 2011

Hoje...

Hoje te amar 
Ta doendo um poquinho 
Esse não estar
Esse não ter você pelo caminho
Hoje te amar
Esta morando na saudade
Que besteira se são apenas dias
Mais bobeira piora com a idade
Hoje te amar
Ta doendo um pouquinho
Por que te amo cada dia mais
E amar é morrer devagarinho... 

terça-feira, 28 de junho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

Gota...

- É como se faltasse algo bem no meio do meu peito...
- Tipo o que? Um órgão?
- Não... algo que não se vê e nem fica doente...
- Uma emoção, falta amor...
- Não, não é isso... que raios porque tenho tudo e ainda me falta?
- Talvez falte você perder pra dar valor...
- É talvez, coisa de ser humano... É uma agonia esse vazio, essa falta...
- E eu posso te ajudar?
- Não, já já passa... Deixa cair a ultima gota dessa chuva na minha janela que passa...
- Deve ser isso que falta... uma gota de...
- Chuva?
- Não... uma gota de tudo...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ato

Todo ato de amor
É um ato de desespero...

Todo ato de coragem
É um ato de burrice...

Todo ato de decepção
É um ato de esclarecimento...

Todo ato de partida
É um ato de chegada em outro lugar...

Todo ato de ódio
É um ato de amor...

Todo ato de desprezo 
É um ato de reconhecimento...

Todo ato de paixão
É um ato de encantamento...


Todo ato de perda
É um ato de esquecimento...

Todo ato de ação
É um ato de movimento...

E todo e qualquer ato de expressão
É um ato de LIBERDADE.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

A gente inventa saudade só pra se ver mais...
A gente inventa o vicio pra justificar a quantidade de nós...
A gente inventa que se gosta e acredita...
A gente inventa de olhar e torna o amor cego...
A gente caminha e nem quer chegar, porque o mais gostoso é a estrada...
A gente quer sempre pra ser pra sempre...
A gente quer entender e só sabe sentir...
A gente quer até o fim mais não quer que acabe...
A gente acha que se acabar vai morrer de saudade...
E ai nem precisamos inventar a saudade por que não nos vemos mais...

Pausa para um cafezinho...

Estou em pausa com a poesia...

Ela tem ocupado mais meus dias do que minhas palavras.

Tem estado no cheiro da manhã... 
Na rotina dos seus olhos...
E na retina molhada da colher que gira na xícara de café...


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Paz?

- Ouvi alguém dizendo hoje que precisava de um pouco de paz... E pensei como é que se consegue um pouco de paz?
- Talvez a pessoa só precisa desse tanto...
- Sim, muita paz seria tedioso...


- Maria, o que é paz?
- Hum... Não sei, mais tenho a sensação que coisa boa não é!
- Porque?
- Porque meu coração esta em guerra por ela...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O Menininho e a Lua - Parte I

... a noite chegou e a lua espia lá de fora porque to rindo aqui dentro...

 - Lua besta... é de amor que to falando...

... e a lua mal criada responde... 


- Eu sei menino tonto... Você ai querendo ser passarinho e eu aqui querendo ser ninho...

...e respondi... 



- Ser passarinho pra ter aquele ninho lua!
- Ser ninho menino bobo pra não ser aquele que voa e vai embora...
- Eu não vou embora lua...



...silêncio...


- Mais eu sim, quando o dia chegar...
- Lua boba... você não percebeu? Não vê que é passarinho e não ninho... E você vai embora, voa, mais toda noite você volta, eu sei porque fico aqui te esperando...
- Então você é meu ninho... menininho...

Travesseiro...

Hoje me descobri "travesseiro"...
Que menina boba...
Tantas outras meninas se descobrem Mar, Céu ou Passarinho...
Eu descobri que sou um travesseiro!
Talvez de tanto que meus braços queiram ser teu ninho.
Ou que ao encostar sua cabeça em mim posso guardar teus sonhos de menino.
Contigo carrego a paz de um sono tranqüilo... e faço guerra com os primos aos domingos.
Dentro de mim ainda há tantas penas e algodão como nuvem, nuvem que não chove mais...
Não molha mais o travesseiro... é de sorriso e aperto que agora sou feita...

Eu sou travesseiro, você travessia e de nós sabemos que nos resta a noite e a espera ao longo do dia...
E quando chega a hora você se encosta em mim e fecha os olhos...
Que na escuridão da noite... sonhamos colorido...

terça-feira, 10 de maio de 2011

Me perco...

- ...e agora eu to encantada...
- E como é estar encantada?
- Ah é esse perder as palavras, perder-se no olhar, perder a linha e o ponto, perder a razão e o juizo, perco as vezes o pensamento por ai e me perco dentro do coração desse menino, me perco nos beijos e nos abraços...
- Espera... então não é bom... você só perde!
- Essa é só uma parte... só me perco pra me achar nele o tempo todo...
- E quando você acha?
- Ai eu me perco... e como me perco no coração desse menino...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Não a pronuncie...

- O que foi Maria, esta triste?
- Não estou com medo...
- Mais medo de que?
- De uma palavra...
- Como assim? De pronunciar... ou ela dá nome ha algo ruim?
- Não pelo contrario é algo bom...
- Então?
- Tenho medo dela não caber em mim, sou uma frase meio estranha...
- Você não é uma frase é uma menina...
- Piorou... essa palavra costuma ser cruel com as meninas...
- Então não a pronuncie...



O seu santo nome

Não facilite com a palavra amor.
Não a jogue no espaço, bolha de sabão.
Não se inebrie com o seu engalanado som.
Não a empregue sem razão acima de toda razão (e é raro).
Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão
de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra
que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra.
Não a pronuncie.

Carlos Drummond de Andrade



domingo, 8 de maio de 2011

Sem pé nem cabeça...

grito baixinho quase calado que nem dá pra não ouvir impossível não escutar que teus olhos nos meus olhos despertam mil amores mais sempre de olhos fechados porque não podem despertar  e durmo e sonho sem realidade da vontade que tenho de contigo estar e desse pé sem cabeça desse poema sem rima só consigo me lembrar que de coração sem amor, de pé sem cabeça é impossível andar e de distância e saudade só mesmo a presença pra saciar e esse começo sem fim tá bom para mim que não quero te largar e pra ter fim o poema e o amor continuar boto um ponto no final da frase e algumas reticências no final do olhar.

Pré e Fixo...

Foi um descuido gostar de você...
E agora é uma infelicidade não te ter por perto...
Fico pensando se esta certo essa vida assim em descaminho...

Mais tudo bem é só um probleminha com prefixo...

sábado, 7 de maio de 2011

Avesso

Você é meu avesso e meu verso.
Deixa ser poesia cada encontro, cada beijo uma rima.
E o olhar ser aquela reticência de final de poema que quer sempre dizer mais alguma coisa...

terça-feira, 3 de maio de 2011

- O que esta procurando Maria?
- Palavras...
- É um dicionário tem muitas...
- Não tem... vou ter que criar umas...
- Nossa pra descrever o que?
- Olha...
- O que?
- Os meus olhos... Já procurei algo pra descrever o que esta acontecendo com eles e não achei...
- Tem coisas que não precisam ser ditas...
- Que bom, porque esta me faltando palavras...
- Nossa justo você?
- É... me faltou agora pra te dizer...
- Dizer?
- Dizer... palavras...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

- O que esta fazendo Maria?
- Vendo a menina dos olhos dançar... Ih olha lá, ela esta acompanhada...
- Esta? De quem?
- Do meninos dos olhos uai!
- E como ele foi parar lá?
- Acho que de tanto os olhos se olharem, grudo...
- E como ele sai dali...
-Não sai, olha pra ele, não quer sair...
- Mais um dia sai...
- E ai ela para de dançar...
- Porque?
- Porque chão molhado é ruim de pisar...

domingo, 1 de maio de 2011

Maria...imaginando...

- ...De repente eu voei e meus pés foram ficando cada vez mais longe da terra, e ao invés de olhar o céu a minha frente, ou as pessoas pequeninhas lá embaixo, eu ficava olhando meus pés, suspensos e o ar passando por de baixo deles... E não sei quem estava mais surpreendido eu ou vento...
- Não acredito Maria que você finalmante voou!
- Não é de crer mesmo, é de imaginar...
- Espera, então não voou? Foi só imaginação?
- Foi...  Mais ela é tudo que tenho pra viver aquilo que não posso... esses dias imaginei que eu era um pássaro de calda longa e colorida, no outro eu imaginei que eu era uma faísca de fogos de artificio estourando no céu e outro dia tive uma imaginação linda... imaginei que era amor...
- E como se imagina que era amor?
- Ah foi assim... de repente eu voei e meus pés foram ficando cada vez mais longe da terra, e ao invés de olhar o céu a minha frente, ou as pessoas pequeninhas lá embaixo, eu ficava olhando meus pés, suspensos e o ar passando por de baixo deles... E não sei quem estava mais surpreendido eu ou vento...

sábado, 30 de abril de 2011

Por estarem dístraidos...

Havia neles uma distração...
Sim se olhavam, se encantavam todo dia... Eram as músicas que ouviam ou podia ser uma risada de algo que se sentia... Mais era sempre nesse estado de "sem querer"... de um distrair...
Estavam tão distraidos que nem perceberam que ali na sua frente as nuvens mudavam as formas, e o vento de repente trazia cheiro de lembranças... como se elas pudessem ter cheiro, como se eles pudessem percebe-la.
Por que ainda nem eram lembranças... era um sem querer estar pensando sem parar um no outro, estavam tão distraidos que nem percebiam que aquilo que sentiam era saudade, era um gostar, um querer bem...
E de tanto se distrairem, tropeçaram um no outro e prestaram atenção...

terça-feira, 26 de abril de 2011

...inho...

Estou apaixonada por um passarinho!
Mais não voa, fica sempre aqui do meu ladinho?
Canta em meu ouvido bem baixinho,
E faz do meus braços seu ninho.
Como se não bastasse todo esse desalinho...
De coisa boba só ser carinho...
Desse final ser sempre em inho...
De fi nal zinho...
Tem sempre mais coisas no meu caminho...
Ando e não estou sozinho...
Pego minha estrada e com você me alinho,
Apesar da contradição de você ser meu des caminho.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Maria... Vendo o mundo...

Sobre os Anjos
- O que esta fazendo ai em cima Maria?
- Vendo o mundo...
- E o que vê?
- Tanta gente sem asa... Fico triste...
- Mais tanta gente sofre por não ter tantas outras coisas Maria...
- Mais ninguém sofre pelo o que o outro não tem...
- Ah, algumas pessoas sim...
- Algumas pessoas tem asas...

Espelho...
- Ninguém sofre pelo o que o outro não tem...
- Uf, tá bom começa assim: você tem tudo o que necessita e deseja?
- Hã?
- Me responde, tem?
- Não, exatamente.
- E você fica triste pelo que não tem?
- Ah... sim.
- Pronto. Agora imagina... Você é o outro...

Mudou?
- Tava andando na rua, e vi uma pessoa com um par de olhos vendo tudo! E do outro lado um mendigo...
- Tá... o mendigo até entendo a surpresa, mais o que há de diferente em ter um par de olhos que enchergam, Maria?
- É que enquanto eu passava, o mendigo não deixou de ser mendigo... Já o par de olhos...

E ai?
[Noticiário] ... a fome mata 1 criança a cada 5 segundos no mundo. O que resulta em 5 milhões de crianças famintas mortas por ano...
- Nossa...
- Nossa?
- É nossa.
- Só?
- Só o que? Me chocou...
- Hum é?... E ai?
- E ai o que Maria?
- Só?
- O que você quer dizer Maria!?
- Que ou você não sabe o valor de 5 milhões ou não sabe o que é fome....

Primeira irritação!
- Você anda me irritando Maria!
- Com que?
- Com essa mania agora de problemas mundias...
- Desse mundo?
- É claro né?
- Ah! Sempre desconfiei que você era um E.T!

A diferença esta aonde?
- Vi duas crianças... Uma criança e a outra não...
- Como assim você acabou de dizer que eram duas crianças.
- Porque vi duas crianças, mais uma eu sabia que estava mentindo...
- E a outra?
- A outra não.

Irritação número 2.
- Você continua me irritando Maria?
- Com o que dessa vez?
- Fica ai falando dos problemas mundiais, como se soubesse tudo e fizesse alguma coisa por eles? Por um acaso faz?
- É por isso que eu prefiro os pássaros...
- Hã?
- O ser humano me cansa... Sempre mais preocupado em ser o melhor... do que fazer o melhor, os passaros sabem que uma andorinha só não faz verão...

Me ajuda a olhar?
- Ainda não cansou de olhar o mundo?
- Não, tanta coisa pra entender...
- Você não vai conseguir entender tudo de uma vez...
- Então me ajuda a olhar...
- To olhando... ... ... Também não entendo nada...
- Mais não olha-lo vai fazer você entende-lo menos ainda...
- É mais olha-lo me faz querer olhar menos ainda.

domingo, 17 de abril de 2011

Maria... Falando sério?

- Maria, você é a favor do desarmamento?
- Sim, eu acho que só os mocinhos e os bandidos devem ter armas...
- !
- Porque afinal, quando minha avó, seus pais ou as minhas tias resolvem usa-las, causam problemas mundias diariamente!
- :/
 

Falando com Deus...

-...então ai foi assim, mais tudo bem sabe, só fico triste...
-Maria, com quem esta falando?
-Com Deus oras...
-Hum...E ele te responde?
-Não.
-Não? E você continua falando?
-Sim, acho que ele sempre pega os recados da secretária eletrônica do céu...
-Ninguém pega esses recados Maria.
-Deus não é ninguém, minha mãe me disse que Deus esta em cada um de nós... ... ... então pensando bem, ele não deve pegar mesmo... ... ... Uf... Deus podia ser um pouco menos humano!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Bem me quer, mal me quer...

- Ai... Bem me quer... Ai... Mal me quer... Ai... Bem me quer....
- Maria o que esta fazendo? Brincando de "mal me quer" com as suas próprias peninhas!
- Sim, quero descobrir se o meu bem me quer ou não? Mais acho melhor eu mesma arranca-las, dói menos do que alguém puxar de mim...
- Dói menos se você arrancar as próprias penas?
- Sim, dói menos do que arrancar o bem ou o mal, mas mais ainda do que arrancar o querer...

quarta-feira, 13 de abril de 2011

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Peninha por peninha para se compor as asas... (Para Dona Pequena Sabryna Mato Grosso)


Presente para Maria...

 
Essas são as suas primeiras peninhas...

 
Para compor suas asas nuas...

 
Que um dia vão voar revestidas de penas de um travesseiro de sonhos.

Desenhos de Sabryna Mato Grosso.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Contradição...

Há uma certa obssessão por esquecer as coisas na vida não é?
Pois sou do contra, não esqueço nem do que foi nem do que virá...
Pode até essas nuvens passar... Vou continuar aqui me lembrando.
Recordando.
Revivendo.
Te esperando...
Esqueço se você me esquecer, mais me faz um favor não me faça cair em contradição...
Deixa ter boa memória, se não a cabeça, que seja a do coração...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Arriscado...

- Pronto fia, tá arriscado...
- Não vó, é riscado.
- Não é não fia, é arriscado de quem arriscou-se.
- Vó, riscado é o que se riscou e arriscado é colocar-se em perigo, sujeitar-se a um risco.
- E a diferença tá onde? Se os dois são jeitos de traçar caminhos...

domingo, 3 de abril de 2011

É dificil mudar um coração...

- Olha aquele passarinho, não para de te olhar, esta te achando linda Maria... 
- É mais isso não é o suficiente para mudar o seu coração... Não me ama  nem mais nem menos por isso...
- É dificil mudar um coração... Suas asas fazem com que ele queira estar perto...
- Mais quando canto não encanto... o que se pode fazer? Queria voar com ele, mais ele me diz não.
- Talvez ele não saiba ou tenha medo de voar a dois...
- Talvez ainda não seja esse o céu, ou temos que esperar o tempo abrir ou é só uma questão de ritmo.
- Ritmo?
- Sim as asas como os corações tem que bater juntos, e seu o meu falha o dele não dá nem pra ouvir, deve bater baixinho, quase calado, coração machucado é dificil de sintonizar.

sábado, 2 de abril de 2011

Tributo a primeiro de abril ou coisas que descobri no caminho...

Coisas que a gente descobre no meio do caminho:
É possivel quase morrer duas vezes na mesma noite,
É possivel se perder duas vezes pela mesma estrada.
É possivel ter dois amores e não ter nada...
É possivel poder dizer sim e ter que dizer não.
É possivel a moto não me matar vindo na minha direção.
É possivel ter fé ainda que esteja tudo estranho...
É possivel limpar a alma com um simples banho.
É possivel encontrar anjos pra te salvar
É possivel gostar do vento sem saber voar.
É possivel ser forte no meio do furacão
É possivel acordar e ter o sol batendo no colchão
É possivel ser tudo diferente no outro dia
É possivel que isso tudo não passe de uma mentira.

Compreender...

Talvez não seja suficiente voar...
Talvez eu precisaria saber pra onde ir...
Ou apenas saber qual caminho traçar...

Sei que o coração ainda não percebeu,
Essa busca já é o próprio caminho.
Torto, com voltas pra trás, atalhos entre você e eu.

Eu e o destino, você e as escolhas, eu e o futuro,
Perceber-se caindo e não voando e ainda sim amar o vento.
Isso de comprender a beleza das coisas no escuro.

Pra compreender a beleza do tempo, a correr
E esperar o encontro com o destino ou com o bater de asas...
Pra voar, pra brincar e pra fazer valer a pena, acima de tudo, o viver...

 

quinta-feira, 31 de março de 2011

Pedacinho do céu

- E se voar tivesse um sabor?
- Seria um sabor de estar voando, Maria...
- Como você tem pouca imaginação.
- Estar voando já não é imaginação o suficiente?
- Não, não quero voar pela imaginação, quero que meu corpo voe com sabor, com cheiro e com o som que só é possivel descobrir voando, por que ainda não foram inventadas...
- Ah, não foram inventadas?

- Não, ou por um acaso você já viu alguma menina voando com asas grandes e brancas por ai?
- Já, e trouxe sorvete de pedacinho do céu, esses por kilo...
- É realmente a imaginação pra você já é o suficiente, uf... homens...

sexta-feira, 25 de março de 2011

Ambição de passarinho...

Minha ambição é de virar passarinho...
E depois comprar uma casinha de João de barro
  E seguir as andorinhas para ajudar a fazer o verão...
Mais vá lá um sonho de cada vez...
 
 

quinta-feira, 24 de março de 2011

5 vezes Maria...

- Ah... O tempo sim é que podia ter asas, Maria...
- Porque? Pra ficar pairando no ar sem nunca passar?
- Pelo contrário, pra poder passar voando...
- Isso foi uma piada? 
- Não, piada é ter asas e não saber voar...
- Ah... É por isso que sempre achei as galinhas um tanto engraçadas...

- Você também não sabe voar e tem asas, você também é engraçada.
- Não, sou patética, as galinhas não voam porque são burras...
- E você não é?
- Não, eu ainda não sei por falta de sabedoria, apenas o que me chega são informações, nada que eu e uma galinha bem instruida não ache no google.
- E qual a diferença de informação e de sabedoria?
- Fazer uma pergunta como essa, por exemplo.


- E pra que você quer que o tempo voe?
- Pra eu poder viver aquilo que sonho... Como encontrar alguém...
- Ah sim...o amor neh? Só ele mesmo pra por asas nos relógios e nos corações...
- Ambos batem...
- Ambos falham...
-Falha de relógio é menos perigosa que falha de coração neh Maria?
-Não... ambas fazem a gente perder tempo.


- O problema é que não há caminho...
-No que Maria?
-No céu... Se o tempo voasse você não ia poder ver os passos deixados no chão, que você teve que dar ao esperar o tic-tac das horas...
-E para que eu ia querer olhar os passinhos para tras?
-Você nunca sabe quando vai precisar voltar ou fazer o mesmo caminho.

-As formas das nuvens são o caminho Maria!
-Como? Vai que alguém olha pra elas e as transformam em ursinho ou gatinhos. Porque nuvem é mitida, você olha e vê um caminho, daqui a pouco olha de novo e já se transformou em outra coisa... Ela gosta de brincar com a gente sempre parecendo ser o que não é.


terça-feira, 22 de março de 2011

Um delicada forma de calor...

Estava andando pela rua,
E da boca de uma São Paulo friorenta soprava um vento que me fazia arrepiar
Olhei nos teus olhos e meu rosto ardeu...
Será invenção? Você e eu?
Ou será que não é nada disso...
Que foi sem querer que São Paulo ao soprar um vento, assobiou...
E deixou escapar algumas canções de quem um dia amou...
E os versinhos cantarolados arderam minhas bochechas
Como os Beatles são bestas...
Me fazer delicadamente sentir calor.
Podia (ou pode?) São Paulo assobiar outras coisas além de amor?